Manoel Tranquilino Bastos

30 Out 2013
Compartilhar

alt
Manoel Tranquilino Bastos

Manoel Traquilino Bastos, clarinetista, compositor, arranjador, professor e regente musical,  nasceu em Cachoeira, no dia 8 de outubro de 1850.

Filho de pai português e mãe negra alforriada, Manoel Tranquilino Bastos, foi um gênio da música, um semeador de orquestras.

Quando criança, aprendreu  a tocar clarineta, e se incorporou ao Coro de Santa Cecília.

Ainda menor de idade, passou a integrar a Banda Marcial São Benedito, composta por músicos negros.

Depois, aos 14 anos incompletos, tocou clarineta em diversos eventos musicais e absorveu, por si só, e com imenso esforço, a cultura musical européia, muito particularmente da Itália, Alemanha e, principalmente, da França.

Sua fama transpôs os limites do Brasil e chegou ao Velho Mundo, onde  suas composições foram aplaudidas de pé por platéias eruditas.

Foi, durante muito tempo, o representante na Bahia de .fábricas francesas de instrumentos musicais, inclusive da Casa Sax, do inventor do saxofone Adolf Sax, e da casa franco-britânica Besson.

Intermediou a compra de instrumentos para diversas bandas do recôncavo baiano, orientou os fabricantes  sobre as particularidades do clima tropical e trocou correspondência com figuras importantes do Velho  Mundo, inclusive Adolfo Sax.

Absolucionista convicto, ficou conhecido pelo epíteto “O Maestro da Abolição”.

Esteve à frente dos movimentos em favor da abolição da escravatura. O “Hino Abolicionista” e a música “Airosa Passeata” são de sua autoria. “Airosa Passeata”  retrata a passeata em que ele, à frente de mais de duas mil pessoas, a maioria composta por negros recém-libertados, foi às ruas de Cachoeira na noite de 13 de maio de 1888, comemorando a assinatura da Lei Áurea.

De sua autoria são as primeiras composições de música de câmara da Bahia. Sua paixão pela música fez com que, de seus dez filhos, três se tornarem músicos, perpetuando  o legado paterno, composto por 295 dobrados, 150 marchas festivas, 50 marchas fúnebres e 205 fragmentos de ópera transcritos para banda marcial, além de inúmeras valsas e peças sacras.

De sua autoria são, 120 crônicas e artigos para jornais e revistas, bem como manuscritos e diários, além de cadernos de música

Era espírita. Fiel à sua convicção religiosa, fundou, em 1877,  com alguns amigos,  a Sociedade Espírita Cachoeirana.

Manoel Tranquilino Bastos faleceu em 1935.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Manoel_Tranquilino_Bastos

http://ilustresdabahia.blogspot.com.br/2012/10/manoel-tranquilino-bastos.html

http://vapordecachoeira.blogspot.com.br/2011/09/biografia-do-maestro-abolicionista.html

Adicionar comentário


Os verbetes da Cafepedia tem como origem as pesquisas que fazemos pela internet para a montagem dos programas Café Brasil. As informações aqui reproduzidas tem fontes diversificadas que muitas vezes estao incompletas ou incorretas. Não temos ainda condições de realizar pesquisas detalhadas para confirmar ou atualizar informações. Dessa forma adotamos um esquema participativo: todos o verbetes tem uma área de comentários para que os interessados agreguem novas informações, opiniões e dicas. Agradecemos à quem se dispuser a participar e colaborar. É esse o espírito que botará o Brasil nos trilhos: colaboração.

O Podcast Café Brasil

É um programa em áudio distribuído pela internet e que une reflexões sobre temas provocativos e atuais ao melhor da Música Popular Brasileira. Entretenimento, cultura, cidadania e, acima de tudo, PROVOCAÇÃO.

VOCÊ ESTÁ EM: Cafepedia Lista Geral Manoel Tranquilino Bastos